Dominio: comprarbebida.com.br
Chave: cd9db657738f8761539b4e0f46f90024ab80bfae
Hora do cache: 1508317356
Vida do cache: 1508360556
Status: 1
Mensagem: Centive nao respondeu
Chave do Pedido: 6d87943cea75d9a612878cac137d3202e35950bb
Chave do Produto: PROKEY
Scroll Top

Experimente dos prazeres do Saquê – Bebidas

Prazeres do saquê

Experimente dos prazeres do Saquê

O saquê é uma bebida alcoólica de origem japonesa, fabricada através da fermentação do arroz. Na cultura oriental, a bebida é servida quente e funciona meio que como o nosso champanhe: é tomada apenas em ocasiões especiais, como o Ano Novo e cerimônias xintoístas de casamento.

Conheça um pouco da história do saquê

A primeira notícia que se tem sobre a produção do saquê data do século III, tendo como local a cidade de Nara, que já foi capital do Japão. O país ainda produz muito, e a quantidade de regiões aumentou, mas a localidade que ganha em qualidade e leva a fama de ser a melhor é o distrito de Fushimi, em Kyoto.

Existem aproximadamente 1.600 fabricantes da bebida no Japão atualmente, e aqui no Brasil duas grandes empresas detêm a produção: Sakura e Azuma Kirin. A maior variedade de marcas que pode ser encontrada está no Bairro da Liberdade, colônia japonesa em São Paulo, capital.

Como o saquê é fabricado?

Ele está na mesma categoria do vinho, e tem um teor alcoólico de 16%. Para os aficionados em álcool, é quase um suquinho de arroz. A bebida é fermentada naturalmente, e os únicos ingredientes são o arroz e a água.

É do arroz que se tira a matéria prima para a fabricação dessa bebida deliciosa, e se chama koji. Tem-se esse resultado através da remoção do excesso de óleo e das proteínas do grão. Este precisa ser polido, a fim de perder de um terço até metade da cobertura original; em seguida passa por um processo no mínimo doloroso: é macerado, enxugado, vaporizado e refrigerado a cinco graus celsius.

Em seguida mistura-se o koji com a água e o arroz já processado e o resultado é o shubo, uma espécie de pasta. Esse shubo vai para um tanque e fica fermentando por um mês, adicionando-se mais koji e mais arroz vaporizado.

Por fim, o que sobra é o maromi, um bolo gigantesco de saquê mais a bebida. Uma filtragem é realizada para separar os dois, e depois do processo já podemos beber! A duração da bebida sem estragar é de dois anos, engarrafada. Depois disso, o sabor natural pode se perder.

Vamos beber saquê!

O saquê é uma bebida deliciosa, e acompanha muito bem petiscos numa festinha em casa. Muitas pessoas gostam de misturar leite condensado e fazer batidas de fruta. O saquê dá um sabor alcoólico porém suave.  O chique, porém, é beber como nas suas origens, ou seja, quente. Normalmente coloca-se sal na borda do copo (é tequila agora?) e, dependendo da estação do ano, alterna-se a temperatura do saquê.

De acordo com os especialistas no assunto, a melhor temperatura, independentemente da estação, é a de trinta e cinco graus. Assim, podemos aproveitar todo o sabor e características da bebida sem perder nada que ela tem a oferecer.

Quando bem aquecido, o saquê adquire um aspecto encorpado e é chamado de kan. O sabor fica bem parecido com o melão. Uma vez resfriado, o sabor se assemelha ao frutado. De uma forma ou de outra, aprecie com moderação.

loading...

Seja o primeiro a comentar!

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.